Tecnologia do Blogger.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Escola de SuperHeróis...

Antes do começar tenho duas coisas a dizer. A primeira é uma coisa séria, queria deixar claro que os textos do blog não se tratam de críticas e indiretas a ninguém... e que também os textos, apesar de refletirem minha opinião, não me isentam da crítica não. Mesmo sabendo que meu intelecto não concorda, eu também cometo os comportamentos descritos aqui. A segunda coisa é uma besteira, é só pra dizer que eu estou curtindo esse lance de entitular os textos com nomes de filme. #AchoDigno e vou adotar como padrão (até onde minha criatividade durar).

Bom o que me inspirou a escrever esse post foi uma sequência de acontecimentos que andei vendo por ai e que me fizeram lembrar de muitos outros exemplos. Primeiro foi o casa desse outro Bruno (esse sim tem um mundo estranho), goleiro do Flamengo, depois foi uma citação sobre o Cazuza (acho que faz aniversário (????) de morte essa semana). Ai me veio a cabeça Cassia Eller, Amy Winehouse, Bob Marley, entre muitos outros.

O que essas pessoas tem em comum? Antes de tudo preciso dizer que todas elas tem muito talento e são realmente boas naquilo que fazem. Porém todas elas tem um comportamento social e uma retidão moral (bonito isso... sempre quis usar essa expressão) questionáveis. Mas a pior de todas as semelhanças é que todos esses são idolatrados, tratados como heróis e tido como exemplo para muitas pessoas.

Ora!!! Segundo o dicionário, herói é o nome dado pelos gregos aos grandes homens divinizados, é aquele que se distingue por seu valor ou por suas ações extraordinárias, principalmente por feitos brilhantes durante a guerra. Agora me responda, alguma dessas pessoas citadas anteriormente se enquadram nesse conceito?

Como disse anteriormente,o talento desses é indiscutível. Eu mesmo admiro alguns. Mas me preocupo seriamente com os danos que tratar estes como ídolos e heróis pode causar na formação de um jovem.

Sobre esse assunto eu tenho uma crítica dura, uma coisa que me revolta muito de ver. Sobre o senhor Cazuza (cuja genialidade musical eu admiro e gosto) que um dia gritou aos quatro ventos que seus "heróis morreram de overdose". Isso explica muito o tipo de vida e comportamento que teve enquanto homem. Me desculpe, mas você está muito longe de ser um herói. Digo mais, você está mais perto de ser um AntiHerói. E o que vemos é que, ao invés de usar o espaço conquistado pela figura de Cazuza na mídia para mostrar o qual perigoso e prejudicial pode ser seguir o seu exemplo, algumas pessoas continuam pregando o seu "heroismo".

Bom galera, não vou me prolongar muito porque nem eu tenho tempo de escrever mais e nem vocês terão tempo de ler. Mas acho que conseguir passar a idéia de reflexão.

Vamos ter ídolos sim, mas cuidado ao tratá-los como espelho para o nosso comportamento. Vamos ter personalidade para fazer nossas próprias escolhas independente da tribo que você pertence, da música que você gosta.

@bruno_priori

10 comentários:

elzirinha disse...

Adorei...Vc disse tudo.Gosto muito das músicas do Cazuza,mas não idolatro.Temos q saber separar as coisas.Pena q nem todos pensam assim.E que bom encontrar alguém q pensa como eu. rsrsrs. Bjão

disse...

Dessa vez não posso discordar (milagre!) principalmente com: "cuidado ao tratá-los como espelho para o nosso comportamento". ídolo é ídolo, exemplo são outros 500...

Beijão

lalalala disse...

Primeiramente, graças a Deus consigo comentar. =D
Bruninho, suas palavras contém suavidade ao serem expressadas de tal forma que a leitura do seu blog torna-rá no meu novo vício. Estou orgulhosa de ler que tenho opiniões parecidas com meu amigo! Esse seu artigo sobre os heróis das gerações me deixou muito a pensar, que de fato nunca vi alguém falar de forma tão apropriada sobre os adorados músicos. Gostei muito, e espero ter mais leituras sadias como esta no seu blog. Você é um grande formador de opinião. Vá em frente! Sua amiga. Karoll

marihgogo disse...

concordo com você. muitas pessoas gostam de um cara que é ótimo artista, um puta músico e espelham sua vida na vida dele. da vontade de sacudir e dizer: "acorda cara, você ta viajando".

gosto um pouco de cada um deles que você relacionou. sim, eles são ou melhor, foram bons so que fizeram.

e quanto ao Cazuza, "meus herois morreram de overdose", talvez os herois dele tenham sido ótimas pessoas só que com vicios. Não AntiHeróis. E se ele se espelhou nesses "herois" talvez tenha copiado só o lado frágil, fraco.. não o lado forte, heroico..

;*

Luuh Motta disse...

Apoiado companheiro !
música música personalidade a parte !
Por isso parei de responder as piadas maldosas a respeito da minha sexualidade ! ;)
O povo só sabe xingar mto no twitter e não acorda pra vida !HAUAHAUHAUAHAUAHUA

=*

@vitorhs disse...

Tudo q é 'exagerado' (aproveitando a música do Cazuza) é ruim.

É extremamente importante discernir entre gostar de um cantor ou outra celebridade, ou idolatrá-lo.

Eu por exemplo, curto bandas/cantores, mas não aprovo o comportamento dos mesmos.

Assunto polêmico!

Acho q nossos verdadeiros heróis não possuem um digno reconhecimento.

Denny disse...

Realmente, o mundo a cada dia escolhe heróis que mais se parecem, como vc disse, com "anti-heróis". Seguem as pessoas erradas, dão aval ás opiniões mais preconceituosas e se deixam levar pelos comportamentos mais bestas.

Em nome de quê?

Vai saber. Quem sabe cérebro vazio mesmo.


Beeeeeeijo gatchenho!


FUIZ...

Bia disse...

Concordo com vc quando fala dos ditos heróis da atualidade...mas na minha opinião o Cazuza não é e nunca foi considerado herói. Na verdade ele foi um exemplo do que NÃO se deve fazer em relação a AIDS, como um símbolo de luta contra o preconceito. No caso dele o verdadeiro herói, no caso heroína, foi sua mãe, Lucinha C. que criou o Instituto Viva Cazuza que cuida de crianças e jovens portadores do vírus HIV.
Bjs
Ah! Quero te ver no meu blog tmb! http://biablabalzac.blogspot.com

João Paiva disse...

Porra leke, é você mesmo na foto?
rárárárárá

São estranhas nossas "morenisses de verão" capturadas em fotografias quando nossa cor natural é "amarelo escritório".

rárárárárá

__________________________________

O Cazuza é muito bom compositor e só. Como é padrão isto , ótimas composições poéticas dos músicos antigos brasileiros. Já como intérpretes, pai amado, ô país de merda para isto.

Mas morrer aos 32 anos, soropositivo, com uma vida " sexo, drogas e rock " é modelo de herói do inferno né. Hellboy brasileiro.
rárárárárá

rárárárárárárá

Bandas_A_Z disse...

Bruno... tu escreve MUITO bem!
Parabéns!

Tô te seguindo!

;*
@GiuliConte
@BandasAZ